O Namorado

Capitulo 3

 
Alana ficou rolando na cama. Como nunca tinha percebido que fizera Rody sofrer assim. Refez mentalmente tudo o que tinha acontecido naquele dia. Tentou se lembrar de todos os detalhes. Realmente, ele se mantivera muito austéro, nada condizente com sua personalidade. Quando ele a abraçou teve a impressão que ele dizia algo. Mas ele simplesmente disse que a deixaria em casa. Alana disse que preferia pegar um táxi, não queria atrasa-lo para o trabalho, mas ele insistiu, disse que seria pela última vez. E assim foi. Nunca mais Rody foi busca-la. O primeiro mês pareceu coisa de sonho. Todos os rapazes se aproximaram. Ela se tornou a garota mais popular da escola. Todos queriam sair com ela. Diziam nunca ter se aproximado, por causa do namorado. Depois pode notar quais eram os interessantes e os realmente interessados nela, e não em sua família. Fez as contas e percebeu que Cisco tinha razão, ficou três semanas sem ver Rody. Isso só aconteceu no almoço de família do terceiro domingo do mês. Um almoço tradicional que acontecia em rodízio de casa uma vez por mês. Daquela vez o almoço seria na casa dele. Ele estava um pouco pálido e alegou estar gripado. No meio da tarde, Tia Lia o levara para o quarto dizendo que Rody estava febril. Alana não ficou preocupada, Rody era forte como um touro, mas podia ver certa angústia na expressão de todos. Agora entendia, ele não estava gripado, estava sofrendo por ela. Mesmo assim, foi tão gentil com ela, como sempre era. Com excessão do beijo doce que sempre lhe dava quando a encontrava, agiu exatamente como sempre. Antes de sair, quis se despedir dele. Quando roçou os lábios na testa dele num beijo fraternal, notou que ele estava gelado, muito gelado, e teve a impressão que ele teve um tremor. Pensou que ele realmente estivesse gripado, mas agora entendia, ele lutou para que ela não visse sua dor, a necessidade de carinho, do toque dela. A saudade que devia estar cortando o peito dele. Se sentiu a pior pessoa do mundo. E se sentiu ainda pior quando se lemnbrou que duas semanas depois foi jantar com seu novo namorado Pedro, no Medeiros. Viu que Clara perdeu a cor quando a viu chegar abraçada a Pedro. O restaurante deles estava bem cheio, mas Clara conseguiu uma mesa no reservado para eles. Disse que faria questão de cozinhar especialmente para eles. Claro, como Alana se sentia uma idiota agora. Clara fez isso para tentar evitar que Rody, que estava na cozinha os visse. Quase deu certo. Não fosse o fato dela querer apresentar Pedro para Rody depois do jantar. Quando entrou na cozinha, Rody estava em frente a sua ilha com uma frigideira e um garfo grande na mão, preparando um bife. Os olhos inteligentes primeiro ficaram suspresos, depois notaram a intimidade do casal e voaram para Clara. Foi interessante que Alana naquele instante tenha percebido o agradecimento nos olhos dele para a prima, mas não tenha visto a agonia que indentificava agora depois de todo esse tempo. Ele havia entendido que Clara tentara ajuda-lo. E tinha feito tudo certo. Não fosse sua ignorância. Ele deixou sua ilha, pediu que um ajudante terminasse o prato. Lavou as mãos, enxugou e caminhou para eles. Foi gentil com Pedro e carinhoso com ela como sempre. O namoro com Pedro durou apenas alguns meses, mas com certeza feriu muito o lindo chefe com olhos de cigano. Sempre que Alana queria uma opnião masculina pedia para ele. Ele sempre a respondia, ajudava com toda delicadeza. Era como se sempre tivesse sido seu tio, o irmão de seu pai adotivo. Depois veio Antonio. Teve outros namoricos, alguns encontros que não foram a diante, até que Antonio, o engenheiro mecânico que veio dar um curso na faculdade, literalmente esbarrou nela no corredor. Ele foi rude, estava atrasado e culpou a distraída aluna que derrubou suas pastas por atrapalha-lo ainda mais. No começo brigaram, depois se acertaram, depois começaram a sair, então a nomarar. alguns meses depois Rody embarcou. Antonio e Rody se encontraram várias vezes. E em todas elas, Rody era gentil e amigável e Antonio sempre dizia que não ia com a cara dele. Um dia Alana lhe disse que eles tinham namorado, Antonio ferveu de ciúme, eles brigaram e se separaram. Depois voltaram. Logo Antonio encontrou outro motivo para ter ciúme e brigaram outra vez, de novo se separaram para algumas semanas depois, voltarem. Essa rotina se repetiu por todo aqueles meses que Rody esteve fora. E quando decidiram se casar, quase se separaram outra vez quando Alana exigiu Rody como padrinho. pelo menos esse problema ela não teria mais. Chorou quando pensou nisso, Então mandou outra mensagem para Rody:
__Rody, sei que deve estar dormindo, mas eu preciso me desculpar. Por tudo. Eu não respeitei seus sentimentos, nem antes e nem agora. Desculpe-me, por favor. Você sempre foi e sempre será muito importante para mim. Você sempre esteve ao meu lado. Acho que pensei que era lógico que você sempre estaria. Você não é obrigado a fazer algo que não queira. Sempre foi o mais gentil dos amigos, o mais carinhoso dos tios, o mais doce dos namorado. Eu sou uma ingrata. Desculpe. Não tenho o direito de exigir nada de você. Mas se me permitir, quero te fazer um pedido. Por favor, volte logo. Preciso muito te ver, estou morrendo de saudade.- Enviou e chorou com o celular na mão. Não conseguia acreditar que fora tão insensível, tão egoísta, tão idiota. Segundos depois chegou a mensagem resposta:
__Criança, você não deveria estar dormindo? 😉 Minha linda e eterna namorada, está tudo bem. A vida prega umas peças na gente. Achei que você seria minha por toda a vida, mas você me amava como um amigo. Estou agradecido. Ser seu amigo me permitiu pensar na minha vida, no que eu realmente quero para mim. Entre as coisas que descobri, é que não quero mais ficar em terra. Quero seguir os passos de meu avô Jorge. Este é um dos motivos pelos quais não estarei em seu casamento. Outro motivo é que minha atual namorada, sabe como fui apaixonado por você e ela é muito ciumenta. Eu mudei em muitas coisas, mas ainda amo a paz e detesto discussões.
__Você tem uma namorada? Como ela se chama? É bonita?
__Na verdade ela acha que é minha noiva, mas eu não dei nenhum anel.:D!! Se chama Maria João é portuguesa, e Capitã- Tenente do Iate. Sim, é bem bonita e sabe atirar.:o!! Melhor não provoca-la, né?
__Pode me perdoar por ter sido tão insensível com você? Eu não percebi…Desculpe?
__Isso é passado, amor. Esqueça.
__Mas você sofreu. Eu te fiz sofrer, e você só me fez feliz por toda a vida. Eu magoei você que só me amou. Estou me sentindo péssima.
__Alana. Não fique pensando nisso. Pense no seu casamento, nos planos que tem, em Antonio. Isso tudo ficou para trás, amor. Não quero que fique triste pensando no passado. Temos muitas lembranças felizes, não é? Pense nelas. Não quero que perca o sono por mim.
__Mas tudo me deixou muito triste. Me sinto uma idiota.
__Alana? Você esteve chorando?
__Sim. Muito. Não consigo me conter pensando no quanto mau eu fiz a você.- Ele levou uns minutos para responder. Alana achou que ele não responderia mais, então:
__Alana, ligue seu computador, por favor?- Ela fez, e em seguida ele estava lá, lindo de camiseta branca e shorts azul escuro. Os cabelos um pouco mais compridos que da última vez que o vira, os olhos profundamente negros emodulrados por uma cortina de cílios longos. Parecia mais bronzeado, um pouco mais forte. Estava num quarto de hotel, sozinho. Começou a fazer os sinais que ela havia lhe ensinado, disse: Porque está chorando?
__Porque você sofreu e eu nem percebi. Sou uma pessoa muito ruim.- Suas lágrimas desceram de novo.
__Alana, pelo amor de Deus! Não chore, por favor amor. Isso tudo já passou. Você vai se casar com Antonio, será feliz. Você conseguiu encontrar seu verdadeiro amor. Valeu a pena. Não chore, amor.
__Não posso ser feliz sabendo que magoei você.
__Ai meu Deus! Foi Cisco, né? Eu mato ele. Disse para não te contar nada.- estava bravo. Alana não tinha como não se sentir mais culpada.
__Cisco não disse nada.- Ele fez uma cara de deboche.- Não antes de você. Quando disse que não queria ser meu padrinho eu fiquei sem chão, fui chorar para meu pai. Cisco viu sua mensagem e ficou sorrindo todo contente. Eu apertei ele. Ele não disse muito. Só o suficiente.
__Desculpe. Não quis ser rude com você. Mas preciso que entenda, estarei de volta ao mar dentro de dois meses. Tem também Maria João que de forma alguma aceitaria ser sua madrinha. Alias, Antonio concordou assim fácil com isso?- Alana sorriu.- Ok. Já entendi.
__Ele sempre teve ciúme de você. Mesmo antes de saber de nós.- Eles se olharam por um minuto inteiro. Foi ele que desviou o olhar primeiro.
__Certo. Vamos combinar assim, eu não mato seu irmão quando chegar ai semana que vem, e você para de chorar e vai dormir direitinho, ok?
__Semana que vem? Não vai chegar domingo?
__Terei que ficar aqui na capital para resolver uns problemas com meu passaporte.- Ela o olhou muito triste, totalmente desapontada. Não precisou de nenhum sinal para dizer que a notícia tinha ferido seu coração. A reação dela tão sincera, tão dolorosa comoveu Rody. – Ah, meu amor, não fique assim. Eu tentei resolver antes, mas parece que realmente preciso assinar uns papéis e… – Rody olhou profundamente nos olhos que tanto amara, ela estava realmente sofrendo, ia matar o bailarino bocudo.- Por favor, meu amor, não fique assim. Eu não tenho como estar aí amanhã,não posso voltar junto com papai e mamãe, desculpe. Vou tentar resolver tudo o mais rápido possível, ok?- Ela soluçou.- Alana, não faz assim, vai destruir o resto de coração que me sobrou, olhe eu tenho que resolver meu passaporte essa semana, senão não estarei apto para embarcar no cruzeiro na próxima viagem.
__Tudo bem.- Sinalizou mas as lágrimas continuavam a cair.- Eu entendo. Você deve fazer o que for melhor para você, para sua carreira. Não se preocupe, estarei esperando.- Foi enxugando as lágrimas e sinalizando rápido.- Volte quando puder. Estou ansiosa para conhecer a tenente. Rody, será que ela me deixaria abraçar você, só uma vez?- Rody perdeu a capacidade de responder, ficou imóvel olhando para ela sem acreditar no que ela tinha dito. Alana sentiu seu rosto queimar. Sinalizou mais rápido ainda, sem olhar nos olhos dele.- Deixa para lá, foi bobagem. Desculpe. Bem, é melhor dormirmos. Até mais Rody.
__Alana! Preste muita atenção!- Ela parou.- Olhe para mim.- Ela o fez, meio envergonhada.- Você pode me abraçar sempre que quiser. Isso nunca vai mudar, meu amor.- O queixo dela tremeu, os olhos cor de uísque derramaram lágrimas de gratidão, de amor. Alana tocou a tela precisando urgentemente tocar no rosto dele. O menino que sempre a amou e que ela descartou sem ao menos perguntar se era isso que ele queria. Ou como ele se sentia. E ele continuou;_ Mas precisa parar de chorar assim. Quero que durma tranquila. E não fique mais triste pelo que aconteceu. Não vou negar, sofri muito. Mas sofreria de novo se fosse para você ser feliz. Sabe disso. Os falcões lutam pela felicidade de sua amada. Eu sou um falcão. E embora prefira o mar, continuarei sendo um Medeiros. Preciso que seja muito feliz, do contrario, não poderei mais respirar. Promete que vai parar de chorar?- Alana respirou fundo e sorriu para ele.- Muito bem, meu amor. Agora durma. Logo nos veremos, e trocaremos um abraço bem gostoso, prometo.- Alana balançou a cabeça sorrindo. Em menos de dois minutos falando com ele e Rody tinha transformado a moça séria, formada, que lidava com múltiplos problemas alheios, em uma menininha sorridente, que só sabia chorar e concordar com tudo o que ele dizia. Ele desligou e Alana tentou fazer o que tinha prometido. Mas não conseguia dormir. Todas as lembranças de uma infância feliz ao lado dos Medeiros e de Rody a invadiu. Todos os momentos que passaram namorando também. Todo o carinho que ele demonstrava, os sorrisos que lhe dava, a coragem que lhe passava. Rody era um líder nato. Daqueles que não precisam gritar. Deus sabe porque, tinha se apaixonado por ela, uma garota que não podia ouvir e em consequência, não falava. Talvez fosse a empatia, uma qualidade comum entre os Medeiros. Ou o instinto de proteção, latente em todos os falcões. Vovô Rodolfo, o patriarca da família, chamava todos os seus descendentes de falcões. Como os pássaros, sua prole era formada por excelentes caçadores, com visão aguçada, força e incrível rapidez de ataque. Mas apesar disso, não eram agressivos, sabiam ser delicados, amorosos e muito sábios. Todos os Medeiros partilhavam dessas qualidades. E principalmente, todos permaneciam fiéis a sua companheira por toda vida. Exatamente como os falcões. Rody era um falcão. Tinha agido exatamente assim quando ela quis se separar dele. Deixou-a livre para fazer suas escolhas, suportou sua dor sem demonstrar nada para ela. Mas os outros falcões viram. Levantou-se rápido. Correu para o quarto de Cisco. Ele estava deitado na cama dormindo com um livro sobre o peito. Ela chacoalhou ele com força para acorda-lo.
__Ei! O que foi? A casa está pegando fogo.- Olhou para ela e viu os olhos dela queimando.- Ok. Você está com raiva. Porque? O que foi que fiz agora?- Estava sonolento.
__Cisco. Quero que me diga onde vocês encontraram Rody depois que nos separamos?
__Depois que chutou ele, quer dizer, né?- Os olhos dela derramaram dor. Cisco se arrependeu de ter usado essa frase.- Ok, desculpe? Olhe, esqueça isso. Rody nunca quis que você soubesse de nada disso. Vamos deixar assim. Amanhã você fala com ele.
__Ela não virá amanhã. Precisar arrumar o passaporte para voltar para o mar. Não vai mais ficar em terra. Só estará aqui na outra semana. E vai embarcar de volta daqui a dois meses.
__Você falou com ele?- Cisco estava mais atento agora.
__Sim. Ele respondeu minha mensagem. Eu tentei me desculpar. Ele falou comigo pela webcam, está bravo com você.- Sorriu triste. Mas eu expliquei que não disse nada de mais.- Cisco estava mais compassivo agora.- Você só disse a verdade, né? Eu sou uma egoísta, idiota e não sei ler as pessoas.
__Ah, florzinha.- Abraçou sua irmã que tanto amava.- Desculpe. Eu não quis magoar você.- Suspirou.- Você é maravilhosa.
__Mas você tinha razão. Eu magoei muito Rody, que só me amou. Eu preciso saber exatamente o que houve para poder me desculpar direito. Preciso entender o que aconteceu. Por favor me conte? Eu não posso ouvir, não sei se ele gritou, se chamou, se…
__Certo, já entendi.- Balançou a cabeça.- Rody não vai gostar nada disso.
__Por favor, Cisco. Só você vai me contar.- Ele sabia que era verdade. Nenhum dos falcões desconsideraria as instruções de Rody. Nem as crianças.-
__Naquele dia, eu não tinha a primeira aula na Escola de Dança, porque o conselho da Prestes de Medeiros estava reunido. Tia Nina, Mamãe e Tia Liv, já tinham voltado para a escola. Vovô Rick, tinha levado Vovó Lia para a biblioteca e estava voltando para acertarem algum detalhe da segurança com Alex. Passei por lá trás de carona. De repente, Alex ficou com a expressão muito séria e começou a digitar rapidamente no note. Em seguida olhou para nós dizendo que alguma coisa estava acontecendo com Rody. Ele deveria estar no Medeiros, mas não tinha chegado. O carro estava parado no Mirante perto da casa do Ben, mas ele não estava dentro. Vovô Rick já estava indo para aquela direção e dirigia muito rápido, isso não é comum para ele.- Alana arregalou os olhos.- Alex disse que Rody deveria estar na praia, o rastreador da pulseira dele indicava um local lá. Mas ele não estava conseguindo as imagens. E ele estava sem o celular e o coração estava perigosamente muito fraco. Corremos todos para lá. Quando chegamos….- Ele parou e olhou sua irmã atenta. Ela queria saber, nunca foi um garoto de dúvidas, Cisco decidiu que ela saberia de tudo o que ele viu naquele dia e depois.- Quando chegamos, Rody estava sentado na escada do mirante todo encolhido nos braços do Vovô Rick, chorava desesperado, estava pálido, muito pálido. Os falcões entenderam imediatamente o que estava acontecendo, mas eu não. Nunca tinha visto aquilo. Tanta dor numa mesma pessoa. Tanta agonia. Uma certeza absurda que a dor nunca ia passar. Papai acariciou as costas dele com lágrimas nos olhos, era como se reconhecesse aquela dor. Tio Ruivo começou a chorar na mesma hora, nem parecia o diretor tão sorridente e altivo. Ben chegou perto deles e disse com a voz meio embargada, para Rody contar o que aconteceu. Ele tentou falar duas vezes, mas a voz não saía. Então ele sinalizou. Disse que você não o amava de verdade. Queria encontrar seu amor verdadeiro. Que para você, o que tinham era infantil, tinha passado, perdido o valor. Você achava que seria mais feliz sendo amiga dele e não mais a namorada. As mãos dele tremiam e as lágrimas não paravam de cair. Ele olhou Ben, e perguntou o que ele deveria fazer. Os olhos verdes de Ben se encheram de lágrimas. Rody olhou para o Vovô Rick e disse que não conseguia respirar, o peso no peito era muito maior que tudo que já tinha sentido. Disse que não sabia se poderia suportar. Ele olhou o mar por um longo minuto. E nesse momento, Vovó Lia chegou com Tia Diana e chamou por ele. Quando Rody olhou para ela, Alana, eu pensei que ele já tinha chorado tudo que uma pessoa poderia chorar, achei que tudo que tinha visto até então, era o máximo de angústia e tristeza que uma pessoa podia mostrar. Mas então ele derramou toda a sua dor para a mãe dele. Todos choramos. Vovó Lia acariciava os cabelos deles com carinho e ele tremia, tremia, os soluços involuntários convulsionavam o corpo todo. Era como se ele tivesse tentando controlar todo aquele tsunami de desespero até que ela chegasse para romper toda aquela devastação. As palavras dela foram assim:
” – Meu lindo menino sorridente, sabíamos que um dia essa hora ia chegar. Seu amor sempre foi verdadeiro, puro e forte, mas precisava ser provado. Alana é uma boa menina. Seja forte, mostre o falcão que é. O tempo resolverá tudo.”- Então ele respondeu, com a voz limpa e forte de sempre.
“- Não poderei suportar muito tempo.”
“_ Poderá sim. Você é filho de Ricardo Medeiros, neto de Rodolfo Medeiros, é o mais poderoso dos falcões. Herdou todas as qualidades deles. E o coração mais valente. Vai enfrentar tudo com amor, como seu pai. E com sabedoria, como seu avô. E quando não conseguir mais controlar sua agonia, terá o mar. O meu refúgio, o nosso refúgio.” Ela sorriu para ele. E foi enxugando o rosto dele com as mãos, se levantando e dizendo.- ” Vamos para casa. Alex, avise Clara que Rody não irá trabalhar por uns dias, por favor. Beto, você explique o que está acontecendo para Nina e para o Vovô Rodolfo..”
__”Eu não quero que ela saiba.”- Vovó Lia olhou para ele.-” Não é por orgulho. Ela disse que quer ter novas experiências, quer conhecer outras pessoas, Se ficar sabendo como estou ela… De que vale todo meu desespero se ela não vai ser feliz de qualquer jeito? Não quero que ela saiba.”- Vovó Lia sorriu meio triste e olhou todos os falcões dizendo:
__Cabe a vocês controlar suas crianças. É melhor contar tudo, e dizer porque Rody não quer que digam a Alana que viram Rody triste. São pequenos, mas expertos.”- Então Rody olhou para mim.- Os olhos do bailarino se encheram de lágrimas. – Ele me pediu para não contar a você. Eu não queria. Eu não podia esconder aquilo, eu tinha que fazer alguma coisa. Mas ele segurou meus ombros com força, como um naufrago, e me fez jurar. Depois disso me fez repetir esse juramento muitas vezes. Eu amo muito você Alana, mas algumas vezes você era tão inconsequente com ele. Levar Pedro para jantar no Medeiros e depois leva-lo para cozinha? O que foi aquilo? E ficar aos beijos com Pedro na casa da árvore do Tio Ruivo? E aquela cena ridícula de ciúme de Antonio na escola de dança, que terminou em amasso no meio da minha apresentação? E aquela vez da premiação do Medeiros, primeiro abraça Rody toda amorosa, depois beija Antonio na frente dele sem a menor cerimônia. O que aconteceu, deixou toda sua sensibilidade com Rody quando se separaram? Rody todo preocupado em poupar você, e você arrastando o coração dele no asfalto. Eu não podia suportar. Mas Rody, bem. Você já sabe. Depois, conseguiu um lugar no cruzeiro. Foi bem recomendado, é claro. Mas não foi simples. O Medeiros precisava dele, Clara precisou improvisar. Vovó Lia nunca quis que nenhum de seus filhos fosse para o mar como seus pais, mas precisou se adaptar. Ele odiava dormir no barco, mas este foi o menor dos problemas, não é mesmo.- A expressão de culpa nos olhos de Alana era comovente.- Foi por isso que fiquei contente com a resposta que ele te deu na história do padrinho. Foi a primeira vez que vi Rody preservar o coração dele em primeiro lugar. Ele sempre estufou o peito e deixou você esquarteja-lo. Isso foi um progresso e tanto. Eu não tenho nada contra Antonio. Ele fica invocando quando me de figurino ou de malha, mas Marcelo também e conheço Marcelo toda a vida. Se gosta mesmo dele a ponto de se casar, tudo bem. Desejo que seja muito feliz. Mas ninguém vai amar você como Rody amou. Espero sinceramente que ele esteja livre desse amor. Que tenha se apaixonado pela namorada tenente. Ele já sofreu muito. Tenho feito a Deus dois pedidos todas as noites desde que Rody embarcou no cruzeiro. O primeiro, que ele se apaixone por uma garota que o ame intensamente. E o segundo, que Deus me livre de amar alguém como ele amou você. Não quero essa dor para mim.- Alana olhou seu irmão com um misto de arrependimento, tristeza, vergonha, raiva e até ciúme da garota que Rody amava agora. Mas o maior de todos os sentimentos que tinha e estava totalmente nu era a culpa.- Sei que não tinha a intenção de magoa-lo, mas fez, fez de verdade. Acho que ele merece um pedido de perdão, mas isso não vai mudar o que houve e nem as consequências. Você perdeu o homem que mais te amou na vida. E ele não te amava como um garoto como você alegou tantas vezes. – Ela tentou retrucar.- Nem tente se defender. Se tinha dúvidas da natureza do que ele sentia por você, devia ter perguntado. Agora isso tudo é passado. Rody tem outra garota e você está noiva de Antonio. – Cisco notou um brilho nos olhos da irmã. Algo que ele disse despertou algum sentimento bom dentro dela. Alana se levantou agradecendo seu irmão pela sinceridade.
__Eu sabia que era você que poderia me esclarecer tudo. Obrigada.- Sorriu.- Rody também sabia que você acabaria me contando tudo, né? Tome cuidado com sua fama bailarino.
__Ei! Eu não sou fofoqueiro. Só que neste caso, sempre achei que você tinha que saber. Achei que você não compreendia o que estava fazendo.- Alana beijou a testa dele.
__Eu sei. Obrigada, te devo essa.- Foi para seu quarto, com tudo o que Cisco contou girando em sua mente. Cada detalhe que lembrava a atingia mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s