O ruivo solteiro

Epílogo

Diana

Gosto muito de me lembrar daquele dia. É sempre muito bom quando Ruivo está com seu irmão e seu primo. Eles se divertem como se fossem crianças.Tem sido assim desde que os conheci. São uma família muito amorosa e descontraída. O avós estão mais idosos agora, mas ainda são saudáveis. Vovô Carlos tem o coração fraco, mas ele tem se cuidado melhor nos últimos anos. Os tios Rick e Lia, continuam em sua eterna lua de mel. É bonito de ver seu romance sem fim. Os pais, Beto e Nina, implicam um com o outro todo o tempo. Os meninos dizem que é assim que se amam. Ben e Liv são muito lindos juntos, e suas gêmeas são  demais. Totalmente diferentes, na aparência e na personalidade. E mesmo assim, nunca se separam. Gostam de fazer tudo juntas, uma gracinha. Jorge e Alice parecem ter saído dos livros de época. Ele um belo protetor gigante e ela a doce e delicada bailarina. Ambos correndo atrás de Cisco cada dia mais travesso e sorridente. Alana já estava com 13 anos agora,  linda e muito inteligente. E já tinha amarrado em seu dedo mindinho o lindo e moreno Rody , com seus 15 anos. As meninas de Dalia também estão mocinhas, todas gostam de estudar e de dançar, Xande não se cabe de orgulho. Nos  bailes no quartel, elas fazem o maior sucesso. Cunha  foi condecorado por uma ação heroica em seu trabalho, mas levou um tiro na ocasião. Isso assustou muito Deise. Ele deixou a corporação. Agora também é enfermeiro no Hospital de Deise. Na verdade, ela é chefe dele. As meninas se divertem com isso, só o pequeno Marcelo que acha o cúmulo, mamãe mandar no papai o tempo todo. Eu continuo trabalhando no orfanato, gosto muito. Quando lido com as crianças procuro me lembrar do jeito carinhoso que Dona Elisângela me tratou naquele dia terrível. Ela faleceu no ano anterior, fiquei muito triste. Felizmente, ela teve tempo de ver Irene se casar com João Pedro, filho do Sr Geraldo, amigo do Vovô Rodolfo. Ela sabia que Irene, assim como eu ganhou uma boa e amorosa família. Meu amado Ruivo, que sempre está ao meu lado, continua dirigindo alegremente a Prestes de Medeiros, a escola recebeu 3 prêmios. Um inclusive, por causa das excelente normas de segurança. Normas que  já existiam e foram reforçadas depois que aquele monstro tentou levar meu Alex. Graças a Deus, e a Ben ele foi preso, e até onde sei não sai tão cedo. Por falar em Alex, meu lindo filho casara-se com Clara na primavera. Foi lindo, chorei muito. Menos que Beto, é claro. Tudo foi perfeito, desde o pedido que fez na frente de todos, no aeroporto, no dia que chegou da Alemanha vindo do intercâmbio. Um de seus projetos tinha sido escolhido e comprado por uma grande multinacional. Ele tinha ganhado também uma bolsa na faculdade, e tinha sido contratado como projetista na mesma empresa que trabalha até hoje. Tudo mérito próprio, sem intervenção do Ruivo, ou da família. Ela concordou, lógico, mas queria terminar a faculdade antes de casar. Clara sempre muito inteligente e empreendedora. Ela fica mais linda a cada dia, e ficaria ainda mais. Sorrio para ela, que está no pequeno palco do disputado restaurante, onde é a chefe e a proprietária o ‘Medeiros’, estávamos esperando que todos chegassem para dar uma notícia bem feliz. O restaurante está sempre lotado, mas neste dia ela tinha reservado todas as mesas para nós, para nosso almoço de família. O restaurante fica na orla, tem uma vista maravilhosa. Tem tudo muito harmonioso e alegre, a cara de Clara, e muitas fotos lindas nas paredes, todas que Clara tirou. Eles moram em cima do restaurante.  O apartamento deles é bem amplo, tem um jardim lindo de inverno que Tia Lia e o Ruivo fizeram, e uma sacada com vista para o mar de cair o queixo.  E mais importante, tem quartos sobrando. Enfim, Alex chegou, tinha ido atender um chamado urgente. Caminhou direto para sua linda esposa, beijou-a e se voltou para nós. Clara esperou que ele chegasse até seu pai, o Ruivo, então chamou a atenção de todos e começou seu breve discurso.

__Minha querida família. A muitos anos escutei meu amado tio Rick, agradecer durante um discurso, por ter nascido numa família tão generosa, incentivadora, amorosa e protetora. Naquele momento não entendi direito o porque de sua gratidão. Hoje sei que infelizmente, nem todos tem nossa sorte.- Olhou para minhas irmãs.-Mas com o tempo percebi que quando nos esforçamos de verdade, acreditamos realmente, conseguimos encontrar a felicidade, mesmo que tenhamos um começo muito triste. – Ela olhou para mim, era a minha deixa.- E  muitas vezes no momento de maior desespero, encontramos um anjo, um tesouro, um motivo para continuar lutando.- Ela olhou apaixonada para Alex.- Gostaria de convidar para repartir este momento comigo, a pessoa responsável pela minha razão de viver, a pessoa que deu inicio a maior felicidade que eu poderia ter. Diana, minha querida sogra.- Levantei-me e fui até ela. Ela segurou minha mão, ficamos de mãos dadas.

__Essa linda menina disse uma grande verdade. Eu não sabia que famílias tão amorosas realmente existiam. Achava que era coisa de novela ou algo assim. Mas a convivência com pessoas maravilhosas durante meu percurso de vida, me fizeram crer que nem tudo estava perdido. Descobri que mesmo nos momentos mais difíceis, nunca estamos abandonados. E se procurarmos bem, nos esforçarmos bem seremos agraciados. Todos sabem os sofrimentos que passei, embora lute com todas as forças para que nenhuma criança sofra assim, sou grata pelo lindo presente que a vida me deu.- Olhei meu lindo filho emocionado. E meu marido sorridente.- Serei ainda mais pelo que ela reservou para mim agora.- Nos telões do restaurante, duas imagens foram exibidas dividindo o espaço. Eram imagens do ventre em uma ultrassonografia. O som de pequenos corações pulsando rápidos e fortes. Então na imagem começou a aparecer um contorno, de um lado dois corações e do outro também. Os olhos de Alex transbordaram na hora.

__Vou ser pai? É isso?

__Se eu entendo de ultrassonografias.- Disse Deise com lágrimas nos olhos.- E eu entendo, você será pai de gêmeos. -Olhou o Ruivo dizendo.- E tio também.

__O que! ?- Os dois disseram ao mesmo tempo. Alex e o Ruivo se olharam assustados. Alex sorriu, saltou da cadeira, abraçou seu pai ruivo, correu para o palco, beijou o meu rosto, pegou Clara no colo e beijou sua esposa rodopiando pelo palco.

__Jura? Teremos gêmeos?- Clara só ria. Enquanto eu contemplava sua felicidade. Ruivo se levantou trêmulo e pálido, caminhou devagar até mim. Olhou em meus olhos com medo de perguntar.

__Tem certeza?- Sua voz saiu num fio.- Eu achei que você não pudesse… Pensei que não poderia engravidar depois do passou para ter Alex….Tem mesmo certeza?

__Eu tenho …certeza.- Baixei os olhos.- Eles são os da direita. Iguais a você, serão gêmeos  idênticos. Estou de 15 semanas. Estão se desenvolvendo muito bem. O médico disse que não há riscos.- Ergui meu olhar para encontrar os olhos verdes do Ruivo banhados em lágrimas. Ele foi se ajoelhando, e tocando com cuidado a barriga ainda inexistente. Beijou-a com carinho.

__Deus. Como posso agradecer por este presente?- Chorou abraçado a minha cintura.- Eu…Amo você… Tanto. Tem certeza que está tudo bem? Precisa de repouso?

__Eu estou bem. Minha primeira gravidez foi de risco, mas meu útero se recuperou. Sou adulta e com boa saúde agora. Eles estão bem, crescendo.- As lágrimas me venceram. Ele se levantou com um sorriso gigante no rosto.

__Você, Dona Diana é sempre surpreendente.- Beijou-me longamente.- Vou ser pai!- Virou-se para seus parentes e gritou._Eu vou ser pai! – Olhou Alex sorridente.- De novo!- Abraçou meu filho, como sempre fazia, como sendo mesmo seu.- Você não nega de onde vem mesmo em Alexandre Vogelmann Medeiros, gêmeos!- Eles riram.

__Sim, mas não são idênticos, então acho que devemos isso a competência de sua irmã.  O que não é nenhuma surpresa, certo pai?- Olharam para Clara. Ruivo sorriu carinhoso passou a mão na barriga dela e disse.

__Não. Ela é sempre brilhante.

Depois de abraços e muitos cumprimentos e felicitações, ouviu-se uma vozinha sorridente:

__Eu tenho uma dúvida tio Ruivo?- Disse Cisco, sempre sapeca.-  Você vai ser tio ou avô dos bebês de Clara? -Todos riram.

__Ainda não sei Cisco. Mas vou ama-los de qualquer jeito.

Os bebês de Alex e Clara, nasceram primeiro. Eram dois meninos lindos. Um loirinho de olhos negros muito sorridente. O outro branquinho, cabelos negros e olhos azuis cobalto. Beto chorou quando viu os bebês. Dona Elisa também. A vida gosta de fazer isso, dar voltas e voltar no mesmo lugar. Rick sorriu e perguntou:

__Como vai ser o nome do bebê a cara do tio Rick?- Disse com o bebezinho no colo. Clara e Alex se entreolharam:

__Luiz.- Sorriu.

__Olá Luiz, eu já tive um garotinho de olhos iguais aos seus um dia. Agora ele está muito grande não cabe mais no meu colo.- Sorriu e cheirou o bebê.- Sabia que eu também nasci com um amigo loiro ao meu lado? Ele era a cara do seu irmão. Como se chama seu irmão, você sabe?-_ Rick falava com todo carinho com o pequenino que o olhava atento. Alex respondeu a pergunta.

__Ele se chama Luiz.- Todos o olharam.

__Os dois se chamam Luiz? -Perguntou Rody.

__Sim. -Disse  Clara.- Luiz Roberto e Luiz Ricardo. Luiz, porque serão a luz de nossas vidas e o segundo nome, porque não poderia deixar de mostrar minha admiração pela amizade de vocês.- Olhou seu pai e seu tio.- Duas pessoas tão diferentes, que se respeitam tanto, e que se amam profundamente.

__Eu não tive irmãos, mas quero que meus filhos sejam como vocês. Que continuem não apenas parecidos com vocês  na aparência, mas com a essência de vocês. Com o caráter e a coragem que vocês tem, e que ensinaram a todos os seus filhos. Inclusive ao meu querido Pai Ruivo .- Sorriu para o Ruivo. Beto só chorava e agora Rick e vários outros Medeiros o acompanhavam. 45 dias depois foi a minha vez  dar a luz aos meus gêmeos. Nasceram dois garotos fortes, saudáveis e iguaizinhos. Eram bem moreninhos, rechonchudos, os cabelinhos todos enroladinhos e os olhos muito verdes. Quando olharam para o pai, os dois sorriram ao mesmo tempo. O encantamento foi geral. Dimitri e Nikolai eram os gêmeos mais charmosos de todos os tempos. Sorridentes, carinhosos e inseparáveis. Com seus nomes fortes que significavam terra e vitória, mostravam toda a glória de minha família e do Ruivo. Embora vovó Nina os chamasse apenas de Dimi e Nico. Desde de então o Ruivo passeia no parque todas as tardes com eles, com todo orgulho de seus pequenos gêmeos de olhos cor de esmeralda.  Eles acabaram de chegar do seu passeio.  Os meninos estão rindo muito, devem ter aprontado alguma. Eles tem 7 anos agora, e quando se juntam com o pai sempre aprontam. Esse é o meu ruivo, que não é mais o ruivo solteiro. Hoje Alex pegou os meninos na escola para mim. Foi bom porque assim pude ver os Luizinhos, como Nina chama os gêmeos de Clara. Vi também meu outro neto, o Lucas,  que a cada dia que passa se parece mais com Alex. Ele nasceu quando os gêmeos tinham 2 anos. Foi muita loucura. A família amou, é claro. Eu achei que Clara fosse ter que fechar o restaurante, mas algo surpreendente aconteceu. Naquela época Rody tinha 17 anos, pelo que sei nunca tinha se interessado pela gastronomia, mas quando Clara disse que precisaria treinar um subchefe para substitui-la durante a licença, ele se ofereceu.  E assim descobriu-se outro talento gastronômico entre os Medeiros. Hoje, Rody e Clara trabalham juntos, ele já terminou uma faculdade de gastronomia e fez vários cursos de especializações. O Medeiros passou por reformas, ficou mais amplo, arejado e premiado. Faz uns dois anos que Clara ofereceu a sociedade  que tem dado muito certo. Alex disse que ele quer ficar noivo de Alana ainda este ano, e se casar no próximo. Alana está no último ano do seu curso. Ela será Assistente Social como eu, quem diria que um dia iria inspirar alguém como Dona Elisângela fez comigo. Nós trabalhamos juntas no orfanato. Ela é muito eficiente, sua surdez não a atrapalha em nada, pelo contrário até aproxima as crianças dela. Jorge morre de orgulho, claro. Todas as minhas sobrinhas também estão na faculdade, quem diria? Só Marcelo que ainda é muito novinho, mas já diz que vai ser enfermeiro como seus pais. E Elis que ainda não terminou o ensino médio e que é a primeira bailarina de Nina. E a nova e promissora descoberta de Nina em se tratando de bailarinos , é Cisco. O garoto herdou o talento do pai e ama dançar. Alice não se cabe de alegria ao vê-lo dançando. O mesmo acontece com Liv e suas meninas.  As garotas amam dançar, principalmente para o papai.  Por falar em Liv, ela teve mais dois meninos. O Calebe que tem 6 anos e é a cara do Ben, e o Caio  que tem 3 anos e a cara do Rody. Eles ainda moram na casa da praia, mas precisaram fazer umas reformas quando os garotos começaram a aparecer. Liv disse que não tem mais planos para outros filhos, mas Ben só sorri quando falam sobre isso. Vovô Rodolfo conta 8 bisnetos desde Cisco.  E tem somente Mari e a Lu, como bisnetas. Segundo dizem, as meninas são mesmo raras nesta família, durante toda a história que se sabe, constam apenas 4, as meninas de Ben, Liv e Clara. Até agora. Os meninos entram correndo e gritando:

__Mamãe! Mamãe! Temos um presente para você, é do restaurante da Clara.- Diz Dimi todo contente.

__Ei! Porque você contou? Papai disse para não contar! Era surpresa, assim não é surpresa, ela já sabe. Ele vai ficar triste. _ Nico parecia aborrecido.

__É mesmo. Eu esqueci essa parte.- Olhou para mim e disse.- Mamãe, você pode fazer de conta que eu não contei? Só para o papai não ficar triste, sabe? Ele gosta de fazer surpresa.- Tive que rir. Esses meninos são loucos pelo pai. Mas não seria mesmo diferente, se até Alex é louco por ele. Olhei aqueles dois pares de olhinhos cor de esmeralda brilhando para mim. Eles eram mesmo iguaizinhos.  Continuavam com os cabelos bem negros e enrolados, já a pele era de um tom dourado, um pouco mais escuro que a de Alex, mas  bem mais clara que a minha. Ainda assim, não fossem os olhos, ninguém diria que eram filhos do Ruivo. Neste instante entra na cozinha ele, a razão dos meus pensamentos.

__Olá amor. -Caminhou para mim, e beijou-me.- Tudo bem?- Olhei seus lindos olhos, tive que sorrir.

__Sim, tudo bem.

__Aposto que esses meninos tagarelas te contaram que temos uma surpresa não é?_ Os pequenos ficaram encabulados.- Não tem problema.- Os meninos falaram juntos.

__Não!?

__Não, porque eu trouxe duas surpresas. Uma está aqui.- Me entregou uma sacola do restaurante, dentro a famosa mousse de chocolate da Clara.- Esta é para todos nós, mas só depois do jantar, como combinamos.- Piscou para os meninos.- Certo meninos?

__Sim! Papai!- Gritaram sorrindo os arteiros.

__A outra surpresa é para você meu amor.- Tirou uma caixinha do bolso.- Passei na joelheria outro dia e achei que você ia gostar.- Era uma uma gargantilha com três pingentes em forma de menininhos, cada um numa posição. Muito fofo.

__Eu amei, amor.- Beijei-o.- Mas está faltando um pingente.- Ele olhou confuso.

__Está? Ué mais eu conferi …Não, estão os três….-Ele me olhou desconfiado.- O que está tentando me dizer?- Olhei no fundo daqueles lindos olhos e disse:

__Pois é. Até três meses atrás, não estaria faltando nenhum, mas agora falta.- Sorri para ele.- Acho que também tenho uma surpresa para você.- Entreguei a ele uma caixinha._ Foi por isso que Alex precisou pegar os meninos para mim, eu precisava confirmar a surpresa.- Ele abriu e dentro um par de sapatinhos de bebê cor-de-rosa. _ O médico disse que ela não deixou dúvida sobre a sua identidade.- O Ruivo me olhou como se visse uma estrela. Parecia encantado.

__Jura amor? Teremos uma princesinha?- Foi me abraçando e beijando e rindo tudo ao mesmo tempo.

__Eu não entendi?- Perguntou Dimi.- Como vamos ter uma princesa? Isso não é só nos livros de histórias?- Nico ergueu os ombros e disse:

__Eu não sei direito.  Acho que tem princesas de verdade também. Mas não sei como podemos conseguir uma. – O Ruivo riu. Se abaixou para falar com seus homenzinhos.

__Meus queridos, preciso que prestem muita atenção. Nós acabamos de ganhar um presente muito valioso. Sua mãe está esperando um bebê. Este bebezinho vai nascer daqui a alguns meses, e vocês serão os irmãos mais velhos dela. Ela vai amar vocês de todo coração. E vai confiar que vocês cuidarão e protegerão ela sempre. No começo ela será muito pequena, mas crescerá rápido, e vocês poderão brincar muito com ela.

__Verdade mamãe? Ela vai amar a gente igual a você, o papai e o Alex?

__Sim Dimi. Exatamente assim. E igual a toda a nossa família ama vocês.

__Mamãe, como sabe que é uma menina?

__O médico viu num aparelho que consegue ver dentro das pessoas, Nico.

_É por isso que disse que teremos uma princesa papai? Porque mamãe está esperando uma menininha?

__Isso mesmo Dimi.

__Papai como é ter uma irmã?

__Ah Nico é maravilhoso. Você vai se divertir.

__Ela podia saber cozinhar igual a Clara.

__Dimi!

__O que? Ela é sua irmã, não é?– Esses eram mesmo os filhos do Ruivo. Riram enlouquecidos.

Meses depois nascia minha Sofia, minha filha. Muito, mas muito parecida comigo. Se misturarmos as fotos minhas de bebê com as dela, nem eu consigo separar. Minhas irmãs até choraram. Os Medeiros ficaram encantados. Vovô Rodolfo fez questão de uma foto com a pequenina nos braços em seu escritório. Lia disse que ela deveria ser sua neta e não de Nina. Sofia só dormia, sem fazer ideia da maravilhosa família que tem. Nem do pai maravilhoso, que chorava encantado com os meninos nos braços, a primeira vez que a viu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s