O ruivo solteiro

Capítulo 9

Assim que se sentaram nas cadeiras claras com almofadas verde claro de sua varanda, Diana disse:

__ Como sabe, saí com Diretor Carlos. Ele me pediu para namorarmos. Você sabe que você é a pessoa mais importante da minha vida. Sabe que se estou viva até hoje, é por você. Porque você me deu forças para lutar e mudar meu destino. Durante muito tempo, achei que não seria capaz de amar mais ninguém além de você.- Alex a olhava atentamente, mas sem dizer uma palavra.- Mas então… Quero que saiba, que nossa relação sempre estará em primeiro lugar para mim… Se não estiver de acordo…

__Você gosta dele?- Ele perguntou calmo.- Quero dizer, sei que o Diretor é um cara legal. Ele é inteligente,  disposto a ajudar sempre. É meio estourado, ri feito um maluco de tudo, mas tem umas ideias geniais. E Clara disse que dos gêmeos, ele sempre foi o mais protetor. Sei que ele gosta de você. Ficou muito triste quando falei que aquele monstro era ruivo como ele. Parecia que tinha ficado com vergonha de ser ruivo. Como se fosse um defeito, um pecado não sei. Depois disso todas as vezes que te olhava era como se doesse. Fiquei até com pena, achando que não devia ter contado a ele. Mas falei, para ele entender que você precisa de muito carinho, de muito cuidado. Você é minha mãe, não vou deixar ninguém te magoar outra vez. Se você não gosta dele, não precisa ficar com ele só porque ele é legal, ou porque eu gosto dele. Mas se gosta dele, tudo bem.- Diana o olhou, seu lindo filho crescido.

__Sim. Gosto dele. _Sorriu.- Acha que vamos conseguir ficar juntos?

__Acho que foram feitos um para o outro.- Isso a surpreendeu.

__Porque?

__Ele é maluco e bem -humorado como a Clara, e ama intensamente como todos daquela família. Você é comedida, ponderada e precisa muito de amor. Um vai completar o outro. Como um peça que se encaixa na outra.

__Você é um amor.- Beijou seu menino.- Quando foi que ficou tão sábio?

__Aprendi com você.- Sorriu para a mãe.- Quando ele virá falar comigo?

__Falar o que?

__Ele tem que pedir para mim.  Eu cuido de você. Sou como seu tutor. – Riu.- Mãe, eu quero que seja muito feliz.- Beijou seu rosto. -Você merece.

__Obrigada meu tesouro. Alex quero perguntar uma coisa. Sei que você raramente fala sobre o que aconteceu comigo com alguém. Como se sentiu contando isso para o Diretor?

__Bem, eu achei que ele precisava saber. Não gosto de falar disso, mas ele me ouviu tão sereno. Se não fosse o fato dele ter perdido a cor quando eu falei que o mostro era ruivo, eu nem teria percebido que já tinha falado tudo. Ele é…não sei …talvez seja porque ele sorri tanto quanto Clara….só sei que, bem, eu confio nele, sabe? Não sei se dá para entender direito, mas eu me sinto bem com ele. Não me importo de contar as coisas para ele.

__Ele ficou pálido quando soube do meu agressor?

__Coitado, mãe. Até me arrependi de contar. Sabe, ele gosta muito de você, e imaginar que você olhava para ele e lembrava do seu sofrimento, deve ter magoado muito ele.

__Alex, ele não me lembra o meu agressor. A cor dos cabelos é diferente, do Diretor é cobreado e não cenoura, e os olhos verdes também são muito diferentes. Os do agressor não eram nem claros como os seus, nem escuros como os do Diretor. Eu nunca lembrei dele quando vi nenhum dos Ruivos Medeiros. Sem contar que eles são gentis e muito bonitos.

__Que são gentis eu concordo. Quanto a beleza, não sei se estou apto para opinar.- Riu.

__Olha! Meu adolescente tímido fazendo piada? Com quem anda aprendendo isso?

__Tenho um novo amigo muito divertido. Ele costuma almoçar comigo no colégio.

Durante a noite, Diana pensava como a vida pode ser mesmo cheia de surpresas. Na manhã seguinte, quando se olhou no espelho, parecia mais jovem. Quase com a idade que deveria ter.

No portão da escola, Ruivo esperava Alex um pouco nervoso, quando o garoto virou a esquina, ele se armou de coragem e o deixou se aproximar.

__Oi diretor.

__Oi Alex, tem um minuto?

__Sim.

__Pode me acompanhar por favor.- O Ruivo se encaminhou para a praça, fora do colégio. Sentou num banco. Alex o imitou.- Quero falar com você aqui fora porque o quero te dizer é pessoal. Sua mãe com certeza te falou que pedi para namora-la. Você já sabia dos meus sentimentos por ela. Eu não tinha falado com você sobre esses planos porque não achei que sua mãe fosse aceitar namorar comigo. Sei que você se preocupa com ela. Sei que quer que ela seja feliz. Quero te dizer que estou muito apaixonado por ela. E quero muito cuidar dela. Nunca me senti tão feliz, como quando ela disse que estava disposta a me dar uma chance. Mas preciso que me ajude. Preciso saber do que ela gosta. Tenho medo de fazer algo que a aborreça, e ela não me diga para não me chatear. Você a conhece melhor que ninguém, por favor me ajude. Pode fazer isso?

__Quer que seja seu espião? Contra minha mãe?- Sorriu.

__Não contra, a favor dela. Quero faze-la feliz, Alex. Sei que ela já sofreu muito, quero compensa-la. Vamos me ajude? Por exemplo, que flor ela mais gosta? – Alex refletiu um segundo e resolveu ajudar seu novo amigo. Disse:

__Minha mãe gosta de todas as flores, mas sua preferida é o lírio, principalmente branco.- O Ruivo sorriu.

__E gosta de chocolates?

__Sim, mais não come muito. Ela come pouco doce. Gosta mais de coisas salgadas.

__Notei que ela não usa muitas jóias, não gosta?

__Ora Diretor!- Alex riu.- É mulher, é claro que gosta de jóias. Mas nunca tivemos muito dinheiro. A prioridade era os estudos, e nossa casa. As jóias que uso, ganhei dos meus tios. Ela nunca teve dinheiro, quando a situação melhorou, ela tinha outras prioridades. E agora está economizando para comprar um carro.

__Ela quer trocar o carro de vocês?

__Não. O gol branco, é do tio Xande. Ele empresta para ela ir trabalhar, por que vai de bicicleta para o quartel, e Tia Dalia tem o Vectra que usa para levar as meninas para a escola e para ir para o Fórum. Já tivemos um corsa cinza, mas ela vendeu para comprar o apartamento.

__O apartamento é de vocês?

__Sim. Mamãe fez todo o esforço para comprar. Queria ter  nossa casa, não queria continuar morando com minhas tias. O apartamento é pequeno, mas é só nosso.

__Você não gostava de morar com suas tias?

__Na verdade gostava muito. -Riu.- Era divertido, a casa sempre cheia. Mas também gosto de ter meu quarto, e de ter silêncio para estudar.

__E sua mãe, gosta do apartamento?

__Sim, para ela é uma conquista.- Olhou matreiro para o Ruivo.- Bem, mamãe gosta de todas as cores, mas tem três que são preferida, o vermelho, o verde e o branco.- Riu- Se precisasse descrever o Senhor em cores seria assim Branco, cabelo vermelho, olhos verdes. Concorda?- Riram juntos.

__Certo engraçadinho, e o que mais?

_Ela não usa sapatos de salto, porque se acha muito alta, mas é louca por sapatilhas. Gosta de roupas discretas, em tons suaves. Gosta muito de ler, principalmente romances de época. Vive dizendo que vai fazer um jardim na sacada, mas nunca tem tempo.

__Ela gosta de jardins?

__Muito. As flores a acalmam.

__Então porque o apartamento? Para ficar perto de suas tias?

__Também. Mas tem o lance da segurança. Ela nunca está em casa, acha mais seguro. E também não teria como comprar uma casa, é bem mais caro.

__Vocês gostam de viajar?

__Sim, mas nunca fomos para muito longe. Ela sempre estava estudando e trabalhando. Mas  vamos sempre ao parque, as vezes acampamos. Minhas primas  gostam muito.  Meus tios estão sempre por perto, lógico.

__Mesmo? Sua mãe num parque? Acampando?

__Ela não gosta de dormir no chão, tem lembranças ruins._ Riu tristonho- Mas aguenta para agradar minhas primas.- Ficou sério.- Diretor, vai cuidar bem dela né? As vezes ela fica estranha, é porque está com medo. Principalmente quando chove forte. Fica meio ofegante, e os lábios tremem. Ela ainda acha que o carrasco pode aparecer. Parece que foi preso a um tempo, na mesma prisão que meu avô. Faz 3 anos que meu avô morreu, estava doente. Antes de morrer, tia Deise foi vê-lo. Ouvi Tia Dalia dizer que ele continuava o mesmo homem sem coração. E o tal ruivo que machucou minha mãe, estava lá. Mas ele sairia logo. Talvez quisesse se vingar por ter sido preso, ou por ter que pagar pela perda do cafetão. Minha mãe seria um alvo fácil.

__Como assim? Como ele poderia feri-la agora?

__Eu.- Os olhos de Alex pareciam com medo, e o Ruivo entendeu o perigo que poderia correr. O sinal tocou, teriam que entrar.

__Ok, Vamos entrar.- Olhou nos olhos dele dizendo: _  Alex escute bem, se precisar de ajuda, se alguma coisa acontecer, quero me chame imediatamente. Combinado.- O garoto balançou a cabeça afirmativamente.- Alex se desconfiar de alguma coisa, de algum perigo, para você ou para sua mãe, por favor me avise. Ok?

__Ok.- O rapaz o olhou por um segundo.-  Ela gosta do senhor, ela me disse. Por favor, não deixe que ela sofra.- O Ruivo, com o coração aos pulos dentro do peito, apenas afirmou com a cabeça.

As 10:30 um rapaz da floricultura entrou no orfanato, levando para Diana 27 dúzias de lírios brancos. 324 lindas flores cheirosa e abertas, com caule comprido e embrulhados com juta e um laço vermelho. O cartão escrito a mão dizia.

__Uma dúzia de lírios para cada ano de sua vida.  Espero poder repetir esse momento em todos os anos que virão. Obrigado pela noite de ontem. Foi a primeira de nossa história. Estou ansioso pela próxima. Beijos minha linda namorada.”

Diana nunca tinha recebido flores, não sabia o que fazer a seguir. Ficou olhando o imenso ramalhete encantada.

__É o Ruivo tem bom gosto.- Alice disse sorrindo.- Não vai agradecer? Ligue para ele, diga que ficou encantada e que ele pode passar na sua casa para ver as flores e te dar um beijo.

__Mesmo?Não é esquisito?

_Se não ligar, ele vai achar que não gostou. Você gosta de cozinhar? Podia fazer um macarrão, e convida-lo para jantar com você e Alex.

_Acha que ele vai gostar?

_Claro. Não precisa ser nada complicado, algo simples, só para estarem os três juntos._Diana gostou muito disso. Mas ligou primeiro para Alex. Eles estavam no intervalo sentados no refeitório. Ele atendeu.

__Sim, tudo bem?

__Tudo querido. Não se preocupe. Estou ligando, porque pensei em chamar o Diretor Carlos para jantar conosco, o que acha? Podia chamar Clara também?

__Chama-los hoje?

__Se você concordar, sim. Pensei em umas 7:30, assim dá tempo de você arrumar seu quarto antes de Clara chegar.

__Ei! Meu quarto está arrumado.- Sorriu.- Tudo bem, quer que fale com eles?

__Vou ligar. Beijos meu tesouro.- Ela desligou. Logo o Ruivo se levantou para atender seu celular. Sorriu assim que viu quem era. Seu olhar parecia feliz e encabulado enquanto falava. Clara vendo a reação dos dois, disse a Alex:

__Não se preocupe, ele está apaixonado. Vai cuidar muito bem dela. Ruivo é assim, meio estourado, grandalhão, as vezes até mandão, mas é um doce com quem ama. Vê como trata as gêmeas de Ben? Ele é igualzinho o papai. Só que ruivo.- Sorriu.- Ela estará segura.- Alex acariciou seu rosto.

__Mamãe convidou você para jantar com a gente hoje, quer ir?

__Sim. -Sorriu animada.-Eu levo a sobremesa. O que quer?- Ele e o Ruivo responderam juntos.

__Mousse de chocolate! – Se olharam e riram.

__Já estão de conluio os dois?- O sorriso de Clara deixava tudo em volta iluminado.

__Por sua mousse de chocolate?- Disse Alex.- Sempre.

__Esse garoto é mesmo um gênio.- Disse o Ruivo e riu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s