O gêmeo mais novo

Capítulo 16

Liv tinha coreografado a valsa de seu casamento minuciosamente.  Começava dançando sozinha a valsa da bailarina. Seu vestido de noiva confeccionado com essa intenção, esvoaçava  para todos os lados a cada movimento. Nos cabelos uma tiara de brilhantes que seu pai lhe deu de presente de casamento, fazia dela uma princesa de verdade. Os cachos negros soltos, levemente enrolados nas pontas, contratavam com a brancura do vestido. Em seguida entravam na coreografia, suas madrinhas, Alice e Eliene e Clara. No compasso seguinte, quando seus movimentos se igualaram belamente, entraram em cânon Nina e Lia. Quando pareciam um corpo de baile feminino, os homens da família mostraram seu valor. Dançavam uns passos com Liv que os entregava para sua respectiva dama. Lógico que com Rick, Collin e com Jorge a dança foi mais fluída. Enfim, Liv ficava sozinha no centro pista de dança, com casais lindos rodopiando em volta dela. Então a música foi se transformando gradativamente em outra, e de repente a  letra de” Me Espera” de Sandy e Tiago Iorc  invadiu o salão na voz rouca de Ben, a bailarina procurava por ele entre os convidados e ele apareceu entre seus parentes, lindo em seu terno de casamento, caminhou até ela sorrindo e lhe estendeu a mão. Ben nunca tinha sido um bom bailarino, era grande desajeitado, tinha medo de machucar sua dama. Mas com Liv era diferente, ela confiava nele. E sabia exatamente o que fazer a cada segundo da coreografia. Além disso, Ben queria muito agrada-la, queria muito ela feliz sorrindo como fazia agora. Amava muita a linda bailarina que dançava para ele com todo amor. Se entregou aos movimentos como jamais fora capaz, e deixou até sua mãe surpresa. Foi muito lindo, muito romântico. Quando terminou a coreografia, ele a tinha no colo e para dar sua própria marca, beijou-a. A chuva de bolhas de sabão só foi superada pelas palmas dos convidados. As meninas de Dália e as de Deise, ficaram encantadas;

__Mamãe?- Disse Gláucia.- Essa será minha professora?-  Dália sorriu e disse;

__Só quando ela voltar da lua de mel querida. Ela estará de férias por umas semanas.

__Ela parece uma princesa de verdade.- disse a pequena Elis.

__É por que ela é.- Disse Carlinhos vindo conversar com a Família de Diana sentada junta a mesa. Trouxe com ele Alana e Rody.

__Verdade?- Disse a pequena de rosto redondo, vestida lindamente de rosa, com cabelos black power e uma flor enorme de lado. O ruivo sorriu e respondeu.

__Bem, aquele ruivo que dançou com ela, sempre acreditou nisso. Embora se pareça comigo, ele é bem inteligente, é advogado, – fez carreta rindo- acho que deve estar certo. – Todas as meninas pareceram acreditar.

__Liv não é princesa!- Disse Rody.- É minha irmã.- Alana disse em libras.

__Talvez você também seja um príncipe.- Ele arregalou os olhos negros parecendo assustado. E Carlinhos riu ainda mais. Diana o repreendeu.

__Pare de confundir as crianças, Diretor. – Jorge que chegava com Cisco no colo completou.

__Ela tem razão, Ruivo. Pare de enlouquecer os pequenos. Tire Diana para dançar e não pise nos pés dela, por favor.- Carlinhos fez cara de indignado e estendeu a mão para Diana, linda vestida de estampado.

__Me daria a honra, Diana? Não sou bailarino como certas pessoas, mas não vou pisar no seus pés. Me viu com Clara, não sou tão ruim assim.

__Aceito, mas advirto, sou eu que pisarei nos seus. Sou péssima bailarina.

__Aleluia! Uma mulher que não dança neste recinto. – Saíram rindo.

Na pista de dança, todos pareciam muito felizes. Mas ninguém poderia estar mais que Ben. Liv olhou em seus olhos verdes e disse:

__Nunca tinha sentido tanto medo em toda minha vida.- Ele sabia que ela se referia ao que tinha acontecido a 15 dias. Ele estava aguardando o julgamento, mas ela já estava segura. Só que talvez, as lembranças pudessem afeta-la. Encostou a testa na dela e disse:

__Também não. Fiquei apavorado. Olhe, se preferir podemos viajar hoje, não precisamos ir para a casa da praia. Se quiser podemos morar no apartamento.

__Não. Quero ir para minha casa. Não fiquei com medo lá. Estava preocupada com a mamãe, mas sabia que você ia me encontrar. Sabia que entenderia o que lhe falei. Fiquei com medo, quando te vi no chão sangrando, imóvel. Pensei que tinha perdido você. Demorei tanto para te reconhecer, você que sempre esteve perto de mim. Quando enfim entendi o quanto te amava, iria perde-lo. Foram os minutos mais assustadores de minha vida.- Encostou a cabeça no peito dele.- Não sente mais dores?- Ben permaneceu em silêncio. Liv estranhou, desencostou  a cabeça de seu peito e viu Ben chorando.- O que foi amor? Está doendo? Não devia ter dançado? Desculpe. Venha vamos sentar um pouco.- Ele a segurou.

__Não está doendo. Mas já doeu muito, por muito tempo. Doía todas as manhã quando eu acordava e tinha sido sonho ter você pra mim. Doía toda vez que respirava sabendo que você estava do outro lado do oceano. Doeu muito, muito quando ouvi você dizer que não me queria. Mas nada doeu mais do que ouvir você gritar no telefone aquele dia. Entendi o desespero de Jorge procurando por Alice nos hospitais  no ano passado. O pavor de seu pai com sua mãe ferida. Nunca mais posso passar por isso. Não teria como suportar. Eu amo você, se tiver que te perder, prefiro a morte.

__Não diga bobagens.- Suas lágrimas também desceram.

__Não são bobagens. Liv, preciso que me ouça com muita atenção. Se algum dia não me quiser mais, – Ela tentou negar, mas Ben continuou.- Escute, preciso que me ouça, porque depois de hoje não terei mais forças para te dizer isto. Se algum dia quiser me deixar, seja firme. Não mude de ideia quando me vir sofrer. Tentarei te convencer, a dor vai me enlouquecer, mas não poderia suportar você infeliz ao meu lado. Se não estiver feliz, se eu não puder faze-la feliz de que adiantaria te-la comigo? Fale com meu pai, ele  me levaria para longe de você. Sei que ficaria com pena de mim, mas não teria outro jeito.  Eu seria infeliz de qualquer forma, então pelo menos você teria uma nova chance.- Olhou-a nos olhos, depois de derramar seu maior medo.- Você entendeu?- Ela o fitou por uns segundos.

__Tem medo que queira deixar você? Acha mesmo que posso respirar longe de você? Pois bem. _Respirou e começou solene.- Benjamin escute com atenção, se você algum dia não me quiser mais, se quiser me deixar, – mudou o tom de voz.- Acho bom mudar de ideia por que isso não vai acontecer. Não deixarei você sair da minha vida em hipótese alguma.! Se não estiver feliz, problema seu! Quem mandou você se casar comigo, carinho? Agora vai ter que me aguentar para sempre. Me pareço com minha mãe e com minha avó Olivia, mas sou neta de Dona Elisa, se ousar tentar me deixar, quebro suas duas pernas! Ouviu?- Ben teve que rir.- Está rindo é? Acha que não faria isso? Experimente me deixar. Lembre-se que minha avó Olivia tinha distúrbios mentais, esse tipo de coisa é hereditário, sabia?- Parecia furiosa.- Você jurou me amar para sempre, não vai pular fora assim simplesmente. Te entreguei meu coração porque você prometeu me amar como meu pai ama minha mãe e o seu ama a sua. Não pode me dizer agora que não vai ser assim.- Seus olhos azuis como gelo se encheram de lágrimas.- Vai ser assim, sim! Não vou perder você!  Agora pare de dizer essas coisas ridículas e me leve para casa.- Ben a apertou contra seu peito, era tão pequena, tão delicada, tão linda, tão valente. Nunca a tinha visto tão brava.

__Que pena. Não estou com o celular. Tomara que o fotógrafo tenha tirado essa foto.

__Do que está falando agora?

__Dessa sua carinha furiosa.- Beijou a ponta do nariz dela.- Essa carinha linda que eu ainda não conhecia. Essa pela qual acabo de me apaixonar. Gostaria de registrar esse momento e colocar junto com as outras fotos na sua sala de dança.- Beijou-a.- Como posso te explicar que nunca deixarei você enquanto houver vida dentro de mim? Só faria isso se fosse seu desejo, por você. Mas isso não significa que conseguiria continuar respirando por muito tempo. Estou te dizendo isso agora, porque depois que for minha, não conseguirei mais deixar você sair da minha vida. Se isso viesse a ser necessário, teria que apelar para minha família, para meu pai me afastar de você. Mas quanto a mim, ouvi você dizer com todas as letras que não me queria, sangrei feito um cão sem dono, suportei por anos o desespero de ficar longe de você, esperei ansiosamente pelo fim de tarde para buscar Alana, só para te ver por dois minutos, amei você intensamente sem a menor esperança. Acha que agora desistiria de você? Agora que vejo todo esse amor nos seus olhos? Que vejo  neles o mesmo pavor que sinto de te perder?

__É bom mesmo.- Ainda estava enfezada. Sorriu para ela.

__Não sabia que era tão brava.

__Não pode imaginar o quanto posso ser brava.- Ele a olhou com um olhar malicioso.

__Jura?- Cerrou os olhos- Vamos para casa, a-go-ra !

__Engraçadinho.- Ben riu alto.

__Liv, eu sou louco por você.- Beijou-a longamente. Depois suspirou com os olhos fechados e a testa encostada na dela.- Me diz que não estou sonhando, Carinho? Diz que você se casou mesmo comigo? Diz que é tudo de verdade, por favor?- Ela acariciou os cabelos cor de cobre.

__Sonhava com isso?

__Todo dia desde os cinco anos.- Ela riu.- É verdade. Em todos os meus sonhos você era minha. O problema era acordar de manhã. Por favor, me diz que não vou acordar sozinho amanhã?

__ Vai acordar comigo todos os dias, para sempre.

Na manhã seguinte, Ben foi acordando aos poucos, o sonho tão bom custava a lhe deixar. Sua linda bailarina sorrindo feliz antes de adormecer em seus braços. Foi então que ele notou que estava sozinho na cama, o pavor lhe invadiu. Sentou-se rapidamente abrindo bem os olhos procurou por todo o quarto, mas não encontrou nenhum sinal dela. Nem o lindo vestido de noiva, nem os sapatos, nem seu próprio terno. O quarto estava arrumado, como se ninguém tivesse estado ali.

__Não!- A voz saiu sufocada.- Não!- Imediatamente as lágrimas inundaram seus olhos. Levantou-se trôpego e dirigiu-se com dificuldade a porta do banheiro.- Liv, pelo amor de Deus, diz que você está ai, Carinho?- Nenhuma resposta. As lágrimas já rolavam por seu rosto com força. Ele empurrou a porta devagar, sem fôlego. O banheiro estava vazio. Ele balançou a cabeça incrédulo. Não pudia ter sido tudo um sonho. Não era possível que tudo o que tinha acontecido fosse produto de sua imaginação. Não de novo.- Deus!- Foi encostando as costas na parede, as pernas perdendo as forças. Até que ponto era sonho? A noite anterior, seu casamento, o sequestro dela, a volta da Europa? A dor nublando seus pensamentos, a angústia disparando seu coração. No meio daquele tornado de desespero voltou-se para o quarto, e no meio dele parecendo muito assustada, estava ela. Linda, os cabelos soltos, descalça, vestindo um pijama curto de cetim rosa chá cheio de rosinhas, meio coberto por um robe aberto do mesmo tecido. Ben correu para ela como um náufrago. Apertou-a em seu peito apavorado, chorando.

__O que foi, meu amor? _Disse ela em seu peito.- Aconteceu alguma coisa?- A voz preocupada e doce, tentando acalma-lo. Notou o coração acelerado, ele tremia. Liv entendeu, ele estava com medo, não estava apavorado. Mas porque? Ela tinha saído na varanda por uns minutos para ver o mar, ele estava dormindo tranquilo. Será que tinha tido um pesadelo? De repente Liv se lembrou que ele tinha dito que sonhava toda noite com ela, e que acordar sozinho era muito doloroso. Na verdade, ele tinha dito isso mais de uma vez. Se apertou contra o peito dele dizendo:- Estou aqui, Carinho. Estou aqui. Não fui a lugar nenhum. Só saí na varanda por uns minutos para ver o mar. Não te chamei, porque estava dormindo tão tranquilo. Desculpe? Estou aqui. – Ben ouviu as palavras dela, entraram como um bálsamo em sua alma, em seu coração. O calor, o perfume, o som do coração dela fez o resto do trabalho para acalma-lo. O choro foi diminuindo, ele foi sentindo as pernas novamente. Caminhou com ela até a cama, sentaram-se sem se soltar. Liv acariciou seu rosto molhado.

__Desculpe, Carinho? Não quis te assustar.- Disse ela toda carinhosa.- Você estava tão lindo dormindo, eu… eu me esqueci do que me disse sobre acordar sozinho. Pode me perdoar?- Ben olhou a mulher da sua vida, aquela com a qual sonhara sempre. Aquela pela qual chorara todas as manhãs ao acordar sem ela, na certeza de que nunca a teria. Tentou falar, mas sua voz estava embargada. Ela beijou-o com muito carinho dando-lhe sua força, sua coragem. A delicada bailarina na verdade era muito forte. E seria sua fonte de coragem para sempre. Ele respirou fundo, depois exalou com força.

__Me confundi. Me apavorei. Quando acordei e não encontrei você.- Os olhos marejaram outra vez.- Eu achei que …. Que tinha sido tudo sonho outra vez.- Ele falava devagar, a voz fraca.- Sei que parece meio ridículo, mas era sempre assim. Você era minha, eu era imensamente feliz e então eu acordava. A dor tomava conta do meu coração e eu…não tinha o que fazer. Você não estava comigo. Você nunca estaria comigo.  Eu iria sangrar assim para sempre.- Chorou. Ela beijou as mãos dele.-  Por um tempo, eu tive até medo de dormir. Por isso eu estudava tanto, trabalhava tanto, malhava tanto. Tentava estar tão cansado para que o sono fosse pesado e eu acordasse sem lembrar de nada. Mas mesmo nas raras vezes quando isso acontecia, eu sabia que tinha sonhado com você. Quando começamos a namorar, as coisas ficaram mais fáceis. Você não estava ali, mas poderia te ver e te beijar até o fim do dia. Eu tinha uma chance de controlar essa agonia. Mas não o pavor de te perder.- Olhou nos olhos dela.- Desculpe, eu assustei você. Mas eu estava sozinho na cama, não vi seu vestido nem meu terno, procurei no banheiro e…- Liv o interrompeu.

__Não se preocupe, Carinho. – Beijou-o.- Eu estou bem. Não vou mais esquecer. Nunca mais vou sair da cama sem te chamar. Juro. -Beijou-o outra vez.- Escute bem meu amor. Ontem foi o dia mais bonito da minha vida. Todas as coisas maravilhosas que eu tinha sonhado para o meu casamento, aconteceram. E ainda foi melhor do que eu tinha sonhado. E nossa noite foi ainda mais maravilhosa. Eu nem sabia que podia ser tão mágica como foi. Você é um homem carinhoso, atencioso e apaixonado. E como se isso não bastasse, é lindo.- Sorriu. Ele também.- Como sempre eu não tenho experiência para agrada-lo como você merece.- Ele ia negar, mas ela continuou.- Mas eu vou aprender. E serei capaz de te fazer ainda mais feliz. Eu vi você muito feliz antes de dormir. Me senti a mais poderosa das mulheres,  porque fui capaz de fazer o homem que amo feliz. De todas as coisas maravilhosas, das emoções surpreendentes, dos instantes  intensos que passamos nas últimas horas, aquele momento em que eu vi a felicidade em seus olhos verdes, foi o mais pleno. O melhor momento da minha vida, até agora. E tenho certeza que quando estiver para adormecer na noite de hoje, verei aquela mesma felicidade, e será o melhor momento de minha vida outra vez. Até acordamos juntos amanhã. Eu amo você. -A emoção pura estampada no rosto dela, não deixava dúvida do que dizia. Ben sentiu o amor explodir em seu peito. Sempre soube que amaria Liv por toda vida, mas ali descobriu que dependia dela para ser quem era. Liv se aconchegou no colo dele e encostou a cabeça em seu coração, como sua mãe fazia com seu pai. O coração dele batia  rápido, mas ela percebeu que no instante que ele reconheceu o gesto de amor, o coração cadenciou, forte, ritmado, poderoso.

__Eu sou louco por você, Liv. Por favor, me perdoe por assusta-la na nossa primeira manhã juntos. Isso só aconteceu, porque não consigo mais existir sem você. Foi isso que tentei lhe dizer ontem enquanto dançávamos. Sempre fui seu, mesmo sem nunca ter te beijado, mas depois de ter você inteira para mim, não posso mais sobreviver sem seu calor. Está ouvindo o meu coração? Viu como estava desesperado quando você encostou no meu peito? Está ouvindo agora como bate tranquilo, forte e compassado? É você Liv. Você que comanda esse coração. – Ela desencostou a cabeça e beijou o peito em cima do retumbar.

__Eu também sou louca por você. Também não posso mais existir sem você.- Olhou nos olhos dele, sorriu.- Você sempre dorme sem camisa?- Ele riu da mudança repentina de assunto.

__Quase sempre. Porque?

__É que se você estivesse vestido, talvez eu não precisasse sair da cama.- Ficou um pouco vermelha, encabulada. Ben achou divertido a reação, e  gostou ainda mais quando o entendimento de suas palavras, encheu seu ego masculino.

__Sério? Perturbei você por estar sem camisa? Mas já me viu sem camisa antes. O que foi diferente desta vez.- Ela olhou corajosa para aqueles olhos tão verdes e disse.

__Verdade. Já te vi muitas vezes sem camisa, e em muitas delas desejei tocar você. Mas é a segunda vez que toco seu peito enquanto você dorme. Na primeira, você estava no seu carro, senti meu corpo todo esquentar e uma vontade incontrolável de te beijar. Mas você estava todo vestido, o que toquei foi só um pedacinho que aparecia nos primeiros botões abertos da camisa. Hoje, quando acordei, a luz do sol refletia suavemente nos seus cabelos cobreados, sua pele tão clara reluzia.  Seu peito estava descoberto, não pude resistir. Você respirava tão tranquilo. Achei que não se importaria. – Baixou os olhos com um sorrisinho meio tímido.- Enfim, não sei direito se sei explicar o que aconteceu quando senti seu calor, seu cheiro…eu…- Olhou para ele com os olhos cor de gelo em chamas. Ben entendeu exatamente o que ela queria dizer.- Eu queria que descansasse,  mas se continuasse aqui eu…_ Ele a interrompeu muito sério.

__Pare Olivia.- Falou num tom firme, austero, mas não ríspido. Mesmo assim Liv se sentiu repreendida. Ela piscou algumas vezes e baixou o olhar, Ben ergueu o rosto dela pegando com carinho o queixo delicado.- Se não parar de falar isso e de me olhar com todo esse desejo, vou quebrar a promessa que me fiz, de esperar até amanhã para te-la de novo.- Ela pareceu confusa.

__Porque você fez essa promessa? Fiz algo errado?

__Não.- Sorriu.- Justamente pelo contrário. Não quero machucar você. Quero que se recupere. Foi sua primeira vez. Você meu amor foi maravilhosa, mas amando você como amo, preciso cuidar de você, protege-la. Mesmo que seja do meu próprio desejo.- Primeiro Liv pareceu não aprovar, mas em seguida uma luz surgiu em seus olhos.

__Então você entende porque me levantei sem te acordar?- Ben viu como ela era esperta. Usou seu próprio argumento contra ele. Agora, ele não teria saída. Sorriu para ela.

__Já pensou em ser advogada?- Depois beijou-a. Todo aquele desespero de minutos antes, esquecido. Se entregou a mulher que sempre amou, que sempre quis. Sentiu ela se entregando da mesma forma, com a mesma intensidade. Eles compartilhavam a mesma família, os mesmos princípios. E agora, sem dúvida, compartilhavam a mesma paixão. Ben sempre teria medo de perde-la, mas sabia que ela pertenceria a ele por toda a vida. Como ele a ela. Liv também era uma Medeiros de nascimento, tinha o mesmo sangue que ele. Também herdara as virtudes e falhas que advinham deste sobrenome. Isto significava que também seria como os falcões. Embora a pequena bailarina parecesse tão frágil, enfrentara um sequestro com toda valentia. Suportara uma maratona cansativa de preparativos para um casamento de realeza. Estava ali feliz e apaixonada nos braços de seu marido, sem a menor preocupação com a viagem que começariam a poucas horas. Nos lindos olhos azuis tão claros  se via que a unica coisa  que realmente importava para ela era a felicidade dele. Ben se sentiu o mais feliz de todos os homens, e no momento que viu sua linda bailarina estremecer em seus braços, se sentiu o mais poderoso dos homens. Suspirou o nome dela e se rendeu a sua paixão.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s